Se você está buscando algum tutorial ou forma de construir uma identidade para algum cliente de forma rápida apertando um botão, você está no lugar errado.

Porém, se de alguma forma busca aprimorar seus conhecimentos na área de design e tenta entender e praticar as melhores maneiras para aplicar algumas teorias e conhecimentos adquiridos ao longo de 10 anos, seja muito bem-vindo. Me chamo Felipe Pavani e esse é meu primeiro post no blog.

Imagino que seja um pouco pretensioso da minha parte já logo no primeiro post, abordar um assunto delicado. Não quero ser o juiz da verdade mas apenas apresentar a vocês algumas técnicas mais eficazes de abordar a prática do design na área de identidades visuais.

Começando pelo começo.

Antes de tudo eu já estou assumindo que você no mínimo já tenha alguma prática dos programas de edição de imagem (photoshop, illustrator, gimp, affinity, etc) ou seja um entusiasta da área para que entenda o linguajar que aplicarei por aqui. Caso tenha alguma dúvida, não esqueça de comentar comigo na sessão de comentários à baixo, ok? :).

Se você está perdido e não sabe por onde começar, sugiro que antes de tudo você comece comprando alguns livros essenciais para essa vertente.

1º – The Brand Gap

2º – Design de Identidade de Marca

3º – Lovemarks: O futuro além das marcas

4º – Signos da Marca

Passos essenciais para o Design de Identidades 1

Com essas sugestões listadas, podemos tentar abordar agora um pouco do processo de design de identidade.

Antes de tudo é importante notar que dependendo do mercado que você esteja atuando como designer (sejam grandes empresas, pequenas empresas, micro empreendedores), o design de identidade nem sempre é essencial.

Esse já é um gancho para o começo de qualquer trabalho de design de identidade: “Afinal, por que você cliente precisa de uma marca?”. Se o cliente não souber te responder, bom, temos algumas hipóteses:

1 – Ou ele nunca valorizou o design como um serviço para crescimento de sua empresa

2 – Ouviu recentemente que o design é um importante fator de reconhecimento

3 –  Viu sua concorrência crescer e pensou em começar por algum lugar e “puff”, magicamente viu que sua logo era antiga e desqualificada.

Muitas empresas começam absolutamente sem nenhuma marca ou identidade. Afinal de contas, muitos empresários assumem de antemão que o essencial é vender o que a empresa oferece. E para atingir esses fins, bom, o design vai ficando de lado.

Talvez essa realidade seja um pouco distante nos grandes centros do Brasil (SP e RJ), mas em todo restante do território nacional muita gente tem exatamente o comportamento listado acima.

Mas tudo bem, sem mais delongas, continuemos.

Entendendo as necessidades do cliente

Imagine um cenário comigo: Loja de roupas masculinas, atuando no mercado há praticamente 5 anos e com uma identidade que praticamente não representa as missões que a empresa preserva nem mesmo se destaca da concorrência, mas mesmo assim a empresa vem gerando alguns lucros. Chegou a hora de contratar um designer e reformular o aspecto visual da empresa e o escolhido foi você.  E agora, bilú?

Em primeiro lugar, entenda seu cliente e suas necessidades primárias.

De nada adianta você já pensar em construir algo sem antes ter feito uma boa avaliação das necessidades básicas para esse novo trabalho. Algumas sugestões:

– Qual o budget do projeto? Seu cliente já tem ideia do quanto ele precisará para investir em um projeto desse? Caso não, instrua-o, não custa nada demonstrar qual o serviço que você presta, como funciona e explicar o que ele estará colocando seu dinheiro. Fique atento que logo mais escreverei uma postagem aqui com uma forma eficaz de você cobrar por seus serviços.

– Ele aceitando seus valores e pronto para começar (isso pode levar de 10 minutos de conversa a 10 dias, depende muito) você segue para uma confecção de seu orçamento. Tudo bonitinho, certinho, explicando passo a passo os detalhes do projeto (se for somente uma nova logo, especifique o que isso significa, etc), bem como os valores, os prazos de entrega, todas as responsabilidades da sua parte e da do cliente, enfim, todo o escopo do projeto. Ah, não esqueça de um local no final para que ele possa assinar.

Passos essenciais para o Design de Identidades 2

Ele aceitando as condições e combinando com você as formas de pagamento, chegou a hora da ação.

Deixarei a continuação para um próximo post. Enquanto isso, ainda sou novo aqui nessa história de blog, mas me diz o que achou do conteúdo até aqui e se foi útil pra você. Se tiver sugestões, me diga como melhorar! Ficarei contente em saber e me aprimorar!

Forte abraço do Pava! 🙂

Fechar Menu