Quais são os quatro sinais de que você tem um cliente dos infernos?

Muitas vezes designers ou criativos se dão ao luxo de trabalhar com clientes altamente inexperientes em conversas com profissionais artísticos e se tornam frustrantes na tratativa para o fechamento de um projeto. Isso se deve por displicência de ambas as partes do espectro. Porém, você como prestador de serviços criativos têm a obrigação de atender bem seu cliente ou simplesmente largar o projeto para o próximo profissional.

como identificar clientes dos infernos

Delinearei alguns pontos importantes para você identificar clientes problemáticos. São eles:

1 – Eles não sabem o que querem

Primeiro nós devemos partir do seguinte pressuposto: o cliente está te contratando pois não possui o conjunto de ferramentas e conhecimentos técnicos que você possui para realização de uma tarefa, certo? Nem sempre.

No Brasil é comum os clientes negligenciarem o papel do designer na conquista de seus objetivos e por isso mesmo acaba fazendo por conta própria um projeto de identidade, marca, website, etc.

Porém, mesmo quando há o interesse genuíno em contratar um profissional criativo, muitos deles talvez nem saibam como conversar em uma reunião. Alguns não sabem o que querem, nunca pensaram a respeito, não possuem valores ou objetivos claros em suas cabeças e acabam adotando a postura de passividade que só prejudicará o andamento do projeto.

Nesse sentido, seu deverá ter um objetivo definido em mente e onde ele quer chegar quando você realizar seu trabalho. Você será a ponte que ligará as necessidades ao objetivo final.

2 – Eles não apreciam seu trabalho.

Alguns tipos de cliente sempre tentam negociar o máximo que podem. No Brasil isso é muito comum. Mais ainda pelo fato de que designers geralmente não são bons em negociação e acabam por destruírem seu valor de mercado fazendo concessões infinitas aos clientes.

Valorize-se. Explique o motivo do seu preço e até onde você pode ir. Não se justifique, mas entenda as necessidades e ofereça a solução. Se o cliente não acatar, siga o jogo e disponibilize outros contatos a ele. Quem sabe ele volte no futuro.

3 – Eles são desrespeitosos.

As melhores relações profissionais são aquelas em que há colaboração mútua. Isso é como os designers conseguirão entender melhor todo o escopo do projeto e ajudar para que o projeto ganhe tração e força no decorrer do tempo.

Clientes que não vêem você como um parceiro, provavelmente te tratarão com desrespeito e acabarão ficando por “cima” na hierarquia do projeto.

No final das contas acharão que trabalhar para eles é um privilégio para você.

4 – Eles subestimam um bom trabalho

Ninguém é obrigado a gastar o dinheiro se não precisa. Porém, se um cliente desvalorizar seu trabalho e o esforço que você está tendo na tentativa de diminuir seu orçamento final, fique de olho. A relação entre contratante e contratado deve ser benéfica de ambos os lados. Os clientes deverão saber (e você deve mostrar isso a eles) que estão tendo valor com os profissionais que contrata. Bem como você, designer, deverá se sentir valorizado pelo seu cliente.

Veja outros temas aqui no Blog